8

30 de dez de 2011

que venha 2012!

o Natal passou, o ano já vai embora e, confesso, não vejo a hora de ver nascer 2012. este ano foi difícil demais em todos os sentidos. de rápidas mudanças e pouquíssimo tempo para digestão. mas devo dizer que, ao final de tudo, me surpeendi com a minha capacidade de engolir, com classe, uma lagoa inteira de sapos.

foi um ano custoso, mas também de acolhimento e de exercício da tolerância. a maior parte do ano convivi com problemas que não eram meus e não me arrependo. eu cresci. e se pude colaborar para diminuir um pouco o sofrimento alheio já me dou por absolutamente satisfeita.

2011 foi difícil sim, mas foi também um ano de descobertas a meu respeito e a respeito do que me cerca. do que é importante, do que não é tão importante e do que não significa absolutamente nada. e o que fazer com o que não tem tanta importância e com aquilo que não significa absolutamente nada? mandar pro lixo, claro. porque uma coisa é carregar entulho o ano inteiro por necessidade e outra, bem diferente, é arrastar o entulho pro ano seguinte sem necessidade alguma.

e esta foi uma das coisas que mais aprendi a meu respeito e do que me cerca. de que o apego excessivo, ao que quer que seja, faz mal, impede o crescimento e nos deixa a sensação de sermos figurinhas repetidas de álbuns infantis.

e quase no finalzinho deste ano redescobri o prazer de postar em meu blogue, de escrever tortamente minhas confissões, de cometer um ou outro texto metido a poema, de receber amigos tão queridos, e de tantos anos, em minha caixinha de comentários. e de conhecer outros e me encantar com a beleza da palavra, com a competência de quem sabe exatamente como derramar no papel seus versos e suas prosas.

então, neste ocaso de um ano difícil, minha mensagem será especialmente destinada àqueles que usam da palavra escrita em seus blogues para levarem a todos a arte que não morre, que transcende distâncias, que prescinde de explicações.

que o próximo ano nos renove, meus queridos escribas blogueiros, que nos traga aquilo que tem de melhor, que mantenha em fogo alto a chama da criatividade, que não deixe morrer a vontade de escrever.

a todos os amigos, de longe, de perto, daqui e acolá, mas que, dentro de mim, estarão sempre grudados, um Ano Novo repleto de paz, amor e saúde.

e que venha 2012! e que seja um ano feliz!

beijos, mais beijos e meu melhor carinho.


mariza lourenço

[imagem ©greentheory]

8 comentários:

Luiz de Aquino disse...

Mariza,

Foi, sim, um ano difícil! Gostaria de ter solucionado todas as pendências, mas imagino que superei 80% delas, e isso me deixa feliz. Ajudei a mim e aos meus, participei do empenho de alguns amigos no mesmo sentido, produzi e ofereci, recebi e acolhi... Entáo, foi um bom ano! Suponho que, para você, tenha sido assim também.
Beijos, menina poeta! Sorria para 2012, ele há de nos devolver com juros!...

3:37 PM
Dona Sra. Urtigão disse...

Feliz 2012, então. Que traga novos aprendizados e possibilidades. Viva !

7:58 PM
layla lauar disse...

é isso... as dificuldades sempre nos ensinam, quando as enfrentamos de peito aberto. saber separar o joio do trigo não é tarefa fácil e fico feliz que você conseguiu absorver o que é bom procê e deletar o que não o é.

querida,

que seus dias em 2012 sejam tão belos e poéticos como são os seus ecritos...

tudo de bom Procê, para Camilla, Felipe, D. Mariza e para todos os seus queridos, é o que desejo hoje e sempre.

beijos, com carinho

2:10 PM
Benno disse...

Feliz ano novo!!!!!!!!!!!!!!!!! Beijocas

2:17 PM
Benno disse...

que seu ano seja proficuo em todos os sentidos e que esteja aqui, sempre perto dos seu admiradores.
Beijos

4:01 PM
Dayana disse...

Então que tenhamos um bom ano!

12:53 PM
Benno disse...

ei, nunca mais postou?
:(
beijos

9:09 AM
Fanzine Episódio Cultural disse...

WHEN THE TEMPEST FALLS

When the tempest falls
Seeds of tears wet the ground
Carrying in their wombs
The fruit of a new life:
LOVE!

Happiness will win the sadness
And overcome the rage.
Passion will conquest the madness,
Exceeding hearts with hope.

...And the tempest falls again,
Carrying in its womb
The embrio of a new war:
THE FREE WILL!

A fruit of a new sin,
Disagreement of a new age...

(*By: Agamenon Troyan)
This is a translated excerpt of my poem & short tales book (O Anjo e a
Tempestade) aka (The Angel and the Storm)

11:09 AM

seja bem-vindo, bem-vinda.

será um prazer ler e responder seu comentário, no entanto, optei por não aceitar comentários anônimos, ofensivos ou que, de alguma maneira, possam constranger aqueles que gentilmente se dispõem a me visitar.

grata,

mariza lourenço

Novo Comentário